O custo humano embutido em um iPad

Dias atrás, o Estadão reproduziu um artigo dos jornalistas Charles Duhigg e David Barboza, do The New York Times, sobre o fato de quatro pessoas terem morrido e 77 ficaram feridas em 2011 em fábricas contratadas para produzir as últimas novidades da Apple. E além disso, o texto aborda as condições desumanas com que trabalhadores são submetidos.

Aqui está o link para o texto do Estadão: http://economia.estadao.com.br/noticias/neg%C3%B3cios,o-custo-humano-embutido-num-ipad,100770,0.htm

 

 

E diante dessa polêmica bola que esses jornalistas levantaram, Henrique Valle, colaborador do Blog do Hiller, e que morou durante 8 anos na China, escreveu um belo texto contra-argumentando os 2 prestigiadíssimos jornalistas. E publico aqui esse texto-resposta na íntegra. Vale a leitura:

“Santa Baboseira, Batman. O amigo jornalista está esperando um padrão escandinavo de trabalho num país onde a vida vale menos que um casco de Tubaína. Olha, deixa eu explicar pra você como funciona as coisas na China tendo morado lá por 8 anos: o cara que trabalha na Foxconn trabalharia 30 horas por dia se pudesse. A sua família, no cafundó de Gansu, comendo arroz azedo no escuro, depende dele. Os outros 10 chineses que não conseguiram a mesma vaga na Foxconn estão trabalhando num lugar MUITO PIOR. A MELHOR coisa que aconteceu na vida desse cara foi a Apple ter resolvido fazer outsourcing dos seus produtos pra Ásia. Deng Xiaoping, o arquiteto da modernização da China, sabia muito bem do tamanho do problema quando tomou o poder no final dos anos 70. Ele sabia que a grande besteira, de proporções bíblicas, em seu país foi o crescimento populacional desenfreado do qual Mao Tsé Tung se vangloriou. Resultado: a única opção pra China era atrair indústria leve que pudesse empregar o maior número possível de gente, ou seja, a Apple (e outras empresas Ocidentais) não “explorou” ninguém, foi tudo planejado há mais de 30 anos e está funcionando exatamente como previsto. Sobre a Foxconn…se você combinar a vasta oferta de mão-de-obra faminta barata com a ganância dos line managers (normalmente Taiwaneses), que tem um salário baixo mas com grandes bônus, você terá a situação ideal: mão de obra que quer trabalhar quantas horas conseguir e management querendo extrair o máximo de produção por linha. Lembre-se: antes de boicotar produtos da Apple, quem vai sofrer não é ninguém na Apple, mas sim o pobre do Chinês que vai ter que ser mandado embora e ou passar fome ou trabalhar numa fabrica chinesa onde não há ninguém supervisionando suas condições. Mais uma vez, assim como o problema de aquecimento global, poluição, ursos polares ilhados, desocupação do Pinheirinho e ausência de emprego, o crescimento populacional desenfreado causou o problema. Se você é a favor de melhores condições de trabalho pro Chinês da Foxconn mas não é a favor de controle populacional, você basicamente é ingênuo…espero que não seja o caso.

Henrique Valle é, literalmente, um cidadão do mundo, especialista em marketing digital, engenheiro de formação, morou 8 anos na China, e hoje vive nos Estados Unidos.